Shell Iniciativa Jovem

Abertas as inscrições para o Edital Shell Iniciativa de Energia

31/07/2018

Estão abertas as inscrições para o Programa Shell Iniciativa de Energia. O edital é voltado para negócios com foco no setor de Energias Renováveis e Cidades Inteligentes. Os interessados devem se candidatar até o dia 5 de agosto de 2018 nesse link.

O objetivo é selecionar 10 empreendimentos que apresentem soluções inovadoras e com potencial de impacto positivo para o mercado. Entre os escolhidos, cinco negócios receberão um total de R$ 25.000,00 (R$ 5.000,00 para cada) logo no início da aceleração. O Programa tem duração de 5 meses e, ao final de seu ciclo, os 10 empreendimentos participantes concorrem a uma novo prêmio, dessa vez no valor de R$ 15.0000,00 para a startup que mais se destacar ao longo da aceleração, segundo os critérios do edital.

A lista dos negócios selecionados será divulgada no dia 20 de agosto, e o Programa começa no dia 22 do mesmo mês. Empreendedores de todo o país podem participar, mas precisam ter disponibilidade para estar presencialmente no Rio de Janeiro, capital, onde o programa é realizado, por pelo menos um dia na semana em datas previamente estabelecidas e, eventualmente, aos sábados. 

Os participantes terão acesso à metodologia do Shell Iniciativa Jovem e a outras empresas parceiras. Todos contarão com o apoio de um mentor, que irá acompanhar a empresa no seu principal desafio de ganhar mercado.

Depois de ler sobre o edital, ainda podem restar algumas dúvidas. Por exemplo, o que são energias renováveis e cidades inteligentes?

Energia renovável, também conhecida como energia alternativa ou energia limpa é a energia obtida por meio de fontes renováveis. Isto é, que tem capacidade de regeneração / renovação espontânea, além de não se esgotarem e de não gerarem grandes impactos negativos para o meio ambiente. 

Em 2007, mais da metade da população mundial vivia em cidades. Essa porcentagem se aproximará dos três quartos até 2050, conforme a população aumenta de sete para nove bilhões de pessoas. Nas próximas décadas, mais pessoas terão acesso à energia e melhor padrão de vida. Mas este desenvolvimento deve causar maior pressão sobre recursos como energia, água potável e alimentos.  Por isso, a Shell já começou a investir em energias renováveis a fim de minimizar os impactos no ambiente natural.

Existem diversos tipos de energias limpas. A energia solar, por exemplo, não traz danos para o meio ambiente e sua captação é feita através de painéis solares. A Energia Eólica é advinda dos ventos e existe em abundância no planeta. É gerada por meio de aerogeradores, espécies de hélices, que transforam a força do vento em energia. A Energia dos Oceanos é obtida pelo aproveitamento do movimento da das ondas do mar. Além dessas há também a Energia Hidráulica, de Biomassa, Geotérmica, Hidrogênio, entre outras.

As cidades inteligentes, ou smart cities, são definidas pelo uso da tecnologia para melhorar a infraestrutura urbana e tornar os centros urbanos mais eficientes e melhores de se viver. Como apresenta a FGV, de acordo com o Cities in Motion Index, do IESE Business School na Espanha, 10 dimensões indicam o nível de inteligência de uma cidade: governança, administração pública, planejamento urbano, tecnologia, o meio-ambiente, conexões internacionais, coesão social, capital humano e a economia. O Ritchter Gruppe publicou a respeito do Guia de Gastos de Cidades Inteligentes, um estudo realizado sobre a International Data Corporation. A empresa é a principal fornecedora de inteligência de mercado no âmbito das tecnologias de informação e comunicação do mundo, e apresentou dados em que os gastos com iniciativas tecnológicas desse segmento chegariam a 80 bilhões de dólares em 2018. A previsão é que esse valor aumente ainda mais em 2021, chegando a 135 bilhões.

Autor: Nicole Fournier