Negócios

Do Shell Iniciativa Jovem para o mundo

Por Shel Iniciativa Jovem em 04/10/2021

Você conhece ou já ouviu falar da BeyGOOD? Fundada em 2013, a organização social coordenada pela artista norte-americana Beyoncé apoia causas ligadas à pobreza, educação, desemprego e desastres naturais, buscando por iniciativas que revolucionem o futuro. Mas onde o Shell Iniciativa Jovem entra nisso? Pois bem, três empreendimentos que participaram de nosso programa nos últimos anos ganharam recentemente apoio deste projeto internacional.

Um desses negócios é a Infill, fábrica-escola de impressoras 3D e projeto de ensino de tecnologia localizado no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Criada por Lucas Lima, a Infill atua com uma base sólida na sustentabilidade e inclusão social, por meio da produção de dispositivos de impressão 3D de baixo custo, com peças reaproveitadas, capacitação tecnológica e cultura maker para moradores da comunidade.  

Outro empreendimento participante do IJ contemplado pela BeyGOOD é a Kurandé, empresa de cosméticos naturais, também oriunda do Complexo do Alemão, criada por Cláudio Marques e Felipe Garcia. Por meio de técnicas ancestrais, o negócio promove o autocuidado, o fortalecimento da autoestima de pessoas negras e indígenas e a sustentabilidade no processo produtivo de consumo.

Fechando o trio de empreendimentos que receberam a benção da iniciativa de Beyoncé, está a Aya Psicologia (anteriormente conhecida como “Se Acalme”), projeto de Douglas Vidal que tem a missão de tornar a saúde mental mais acessível e próxima da realidade do brasileiro, criando um impacto redutivo massivo no número de casos depressivos, ansiosos e suicidas.

Os três empreendimentos hoje fazem parte da incubadora Pan-African Vision, empresa independente que atua nos segmentos de comércio exterior, consultoria de diversidade e aceleração de startups. Seus representantes são do Conselho Pan-Africano no Brasil, uma entidade da União Africana que promove a integração dos países da região com a comunidade negra na diáspora.

Fonte: Jornal O Globo